Se vira http://sevira.erikasilva.com.br Just another WordPress site Wed, 31 May 2017 22:56:09 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.1 Hello world! http://sevira.erikasilva.com.br/hello-world/ http://sevira.erikasilva.com.br/hello-world/#comments Fri, 21 Apr 2017 16:53:50 +0000 http://sevira.erikasilva.com.br//?p=1 Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start writing!

]]>
http://sevira.erikasilva.com.br/hello-world/feed/ 1
A tradição do Hanami e locais para ver as flores de cerejeira no Japão http://sevira.erikasilva.com.br/a-tradicao-do-hanami-e-locais-para-ver-as-flores-de-cerejeira-sakura-no-japao/ Sun, 26 Mar 2017 21:47:06 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=3679 […]]]> A tradição do Hanami, que quer dizer “ver as flores”, é uma tradição milenar no Japão, entre o final de março e começo de abril, começa o florescimento da sakura, que é o nome da árvore e flor de cerejeira em japonês e em inglês Cherry Blossom.

Antigamente acreditava-se que havia deuses vivendo dentro das árvores de sakura e antes do plantio, era comum fazer oferendas e beber nihonshu debaixo dessas árvores.

Hoje em dia a tradição se tornou um programa típico japonês. Cada região do país tem uma previsão do florescimento e as emissoras de tv japonesas mostram especialistas analisando árvores e dizendo quando as primeiras flores vão se abrir. No site do Japan Guide é possível ver, todos os anos, as datas do florescimento em todas as regiões do Japão.

O programa de “ver as flores” é bem simples, os japoneses se encontram e se sentam debaixo das árvores com amigos, parentes ou colegas de trabalho, geralmente fazendo churrasco e piquenique (a maioria sentados em lonas azuis) a moda japonesa. Os jovens costumam levar cerveja ou outra bebida alcoólica pra curtir o momento na maior animação.

Os parques ficam bem cheios e falta espaço pra tanta gente, por isso é normal alguém chegar antes pra guardar lugar embaixo de alguma árvore.

As flores de cerejeira estão em muitos lugares, nos parques, nas ruas, nos jardins ou os templos. Aqui estão alguns dos pontos mais populares no Japão para a contemplação dessas flores exuberantes:

Shinjuku Gyoen

shinjuku-gyoen-park-sakura-japan

Parque cheio na época do Hanami | Foto:Arquivo pessoal

Informações: 
Endereço: 11 Naitomachi, Shinjuku-ku, Tokyo-to 160-0014, Japão
Como chegar: 5 minutos a pé da Estação Shinjuku, saída ao sul
Horário: 9h às 16h (Portões fecham às 16h30min)
Entrada: 200 yen
Site: Shinjuku Gyoen National Garden

Ueno park

ueno-park-sakura-japan

Parque Ueno cheio de gente durante um fim de semana no Hanami | Foto: Arquivo Pessoal

Informações: 
Endereço: Japão, 〒110-0007 Tokyo, Taito, Uenokoen, 5−20
Como chegar: Ueno Station (Linha Yamanote), 5 minutos anadando da Ueno-Okachimachi Station ou da Keisei-Ueno Station
Horário: 5h às 23h
Entrada: gratuita
Site: Ueno ParkUeno Sakurai Matsuri

Meguro river

meguro river fast japan

Megurogawa | Foto: fastjapan.com

Informações:
Endereço: Japão, 〒153-0061 Tokyo-to, Meguro-ku, Nakameguro, 1 Chome−11−18
Como chegar: 11 minutos a pé da estação Naka-Meguro; 15 minutos a pé da estação Meguro
Site: Sakura along Meguro River

Inokashira Park

INOKASHIRA PARK- japan

Ver as cerejeiras e ainda andar num “pedalinho de cisne” é muito amor gente! | Foto: fastjapan.com

Informações:
Endereço: 1 Chome-18-31 Gotenyama, Musashino, Tokyo 180-0005, Japão
Como chegar: 5 minutos a pé da estação Kichijoji
Site: Inokashira Park

Conheça mais de Tóquio em nossos diário de viagem pela cidade.

Kiyomizu-dera Temple – Kyoto

Kiyomizu-dera Temple-japan

Foto: fastjapan.com

Informações: 
Endereço: 294 Kiyomizu 1-chome, Higashiyama-ku, Kyoto-shi, Kyoto-fu 605-0862, Japão
Como chegar: 20 minutos a pé da estação Kiyomizu-Gojo
Horário: 6h às 18h
Iluminação: Das 18h às 21h
Entrada: 300 yen (adultos)/ 200 yen (crianças)
Site: Kiyomizu-dera Temple

Philosopher’s Path (Caminho do Filósofo) – Kyoto

 

PHILOSOPHER’S PATH - caminho do filosofo-kyoto-japan

Foto: fastjapan.com

Informações: 
Endereço:  Sakyo-ku, Kyoto-shi, Kyoto-fu, Japão
Horário: dia inteiro
Entrada: gratuita

Arashiyama – Kyoto

arashiyama-sakura-kyoto-japan

Este distrito de Kyoto tem várias atracções turísticas, alguns lugares populares para ver a sakura são: a Ponte Togetsukyo, o parque de Nakanoshima e a área do Templo Daikakuji, na estação de Saga-Arashiyama é possível ver o mapa da região (ou no google maps também). E à noite durante o Hanami, eles fazem a iluminação Hanatoro, um evento impressionante para ver as flores de cerejeira iluminadas à noite. Lindo demais!

Informações:
Endereço: 〒616-8386 Kyōto-fu, Kyoto-shi, Ukyo-ku, Sagakamenoocho
Acesso: 5 minutos a pé da estação Arashiyama
Iluminação: durante a temporada de floração até às 22h (Nakanoshima Park)

Maruyama Park – Kyoto

Este parque tem uma atração principal, uma shidarezakura, ou árvore de flor de cerejeira chorando, esta árvore está localizada no centro do parque e tem mais de setenta anos de idade. Iluminada à noite, esta árvore de flor de cerejeira sozinha é algo que se deve ver no hanami em Kyoto.

Informações:
Endereço: Maruyamacho, Higashiyama Ward, Quioto, 605-0071, Japão
Acesso: 12 minutos a pé da estação Gion-Shijo
Iluminação: durante a temporada de floração até à 1h
Entrada: gratuita
Site: Maruyama Park

 

Castelo de Osaka – Osaka

OSAKA CASTLE PARK – OSAKA-japan

Foto: fastjapan.com

Veja também nosso diário de viagem em Osaka.

Informações:
Endereço: 1-1 Osakajo, Chuo Ward, Osaka, Osaka Prefecture 540-0002, Japão
Como chegar: Próximo à Osakajokoen Station
Entrada: gratuita para o parque (200 yen para o Nishinomaru garden)
Site: www.osakacastle.net

Castelo de Nagoya – Nagoya

castelo-de-nagoya-sakura-japan

O parque ao redor do Castelo de Nagoya é aa melhor pedida na época do Hanami | Foto: Arquivo pessoal

Veja nosso diário de viagem em Nagoya.

Informações:
Endereço: 1-1 Honmaru, Naka Ward, Nagoya, Aichi Prefecture 460-0031, Japão
Como chegar: A partir de Nagoya Station, pegar a linha Higashiyama Subway Line para Sakae Station (5 minutos) e depois mudar para Meijo Subway Line para Shiyakusho Station (2 minutes). Todo o percurso leva em torno de 10 minutos e custa 240 yen. Outra alternativa é utilizar o ônibus turístico em Nagoya station e descer na parada do castelo aprox. 25 minutos, custa 500 yen pelo day pass.
Entrada: gratuita para o parque

Nara park – Nara

Nara park - japan

Foto: Arquivo pessoal

Dentro do Nara park há aproximadamente 1700 árvores de cerejeira, além de templos e veados que vivem livremente pelo parque. Veja nosso diário de viagem em Nara.

Informações:
Endereço: Zoshicho, Nara, 630-8211, Japão
Como chegar:  Cerca de 20 minutos a pé da Estação JR Nara
Entrada: gratuita
Site: nara-park.com

Monte Yoshino (Yoshinoyama) – Nara

Yoshinoyama in Nara

Um monte inteiro de sakura | fastjapan.com

Informações:
Endereço: Yoshino, Yoshino District, Nara 639-3115

Como chegar: Da estação de Nara pegar a Kintetsu Yoshino line até Yoshino station. Durante a época do Hanami um ônibus funciona entre a estação de Yoshino e a área de Naka Senbon, perto do templo de Chikurin. Os ônibus partem 2-4 vezes por hora e custam 360 yen. Da área de Senaka de Naka perto do templo de Chikurin-em, ônibus operam na área de Oku Senbon de Yoshinoyama, em torno de 15 minutos, 400 yen 1-2 ônibus / hora.
Entrada: gratuita
Site: www.town.yoshino.nara.jp


Aproveite nossos posts sobre o Japão para se encantar e quem sabe programar uma viagem inesquecível para esse país tão único como o Japão. Siga-nos nas redes sociais também.

]]>
5 lugares imperdíveis para conhecer em Punta del Este http://sevira.erikasilva.com.br/5-lugares-imperdiveis-para-conhecer-em-punta-del-este/ Tue, 07 Mar 2017 15:30:01 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=3656 […]]]> Punta del Este está localizada a 120km da capital do Uruguai, Montevideo, é uma das cidades mais visitadas por brasileiros no Uruguai, seja por seus hotéis cassino luxuosos, badalação ou por suas belíssimas paisagens, praias e atrações culturais. Conheça agora 5 lugares imperdíveis para conhecer em Punta del Este.

1- Playa Brava e Playa Mansa

Punta del Leste fica em uma península, banhada pelo rio e pelo mar, onde as águas se encontram, literalmente na ponta do Uruguai.

A Playa Brava, banhada pelo mar e a Playa Mansa banhada pelo rio, são as principais praias da cidade, uma é continuação da outra, já que circundam a península. A famosa escultura, Los dedos ou La mano, fica na Playa Brava, visita imperdível!

Los-dedos-Playa-brava

Escultura Los Dedos imperdível na playa Brava – Fonte: bos.tur.br

Playa Mansa - Punta del este

Vista da Playa Mansa – Fonte: Arquivo pessoal

À esquerda da foto está a Playa Mansa. À direita, a Brava, com as fortes águas do Atlântico.

Punta del leste - Peninsula

Península de Punta del Leste – Fonte: chihuahuaresort.com

2- Avenida Gorlero

Não há como não conhecer a Avenida Gorlero, ela é a principal avenida da cidade e corta a península bem no meio. Movimentada e cheia de lojas a Gorlero é a principal via de Punta del Este, à noite ferve de famílias e jovens que circulam até tarde. Lá, é possível encontrar restaurantes, fast food, bancos, casas de câmbio, lojas de roupas e também de tranqueiras e algum souvenir.

Avenida-Gorlero-Punta-del-este

Um pedaço da Avenida Gorlero – Fonte: www.copasturprime.com.br

3- Plazoleta Grã-Bretanha

É o lugar onde o Oceano Atlântico encontra com o Rio da Plata, também chamado de Plaza de Los Ingleses. As esculturas das sereias enfeitam este lugar tão bonito, além de  ser um lugar lindo e poder tirar belas fotografias, na Plazoleta Grã-Bretanha é possível contemplar o pôr do sol em uma das mais belas paisagens ao sul da América.

plazoleta-gra-bretanha-Camille Panzera

Sereias de la plazoleta – Fonte: Camille Panzera – Melhores Destinos

4-Ponte Ondulada

Essa divertidíssima ponte é caminho para se desbravar algumas praias mais distantes de Punta e as muitas mansões. Impossível não sentir um friozinho na barriga ao se passar por ela!

ponte ondulada - puente_de_la_barra

Ponte ondulada e o povo na pescaria (haha) – Fonte: puntadeleste.com

5- Casapueblo

É uma casa-escultura construída pelo artista uruguaio Carlos Páez Vilaró, fica em Punta Ballena, a 16km do centro de Punta del Este.

Além de galeria de arte, a Casapueblo, também funciona como hotel, café e mirante para apreciar uma maravilhosa vista do litoral e do Pôr do Sol.

casapueblo---punta-del-este

Casapueblo e sua arquitetura bela e engraçada! – Fonte: Arquivo pessoal

A Casapueblo tem uma arquitetura com inspiração grego-mediterrânea com detalhes bem diferentes e até esquisitos, segundo a guia uruguaia do tour, a casa serviu de inspiração para Vinicius de Moraes escrever a música A Casa (Era uma casa muito engraçada, não tinha teto não tinha nada) em 1980. O compositor visitava a casa em quanto estava sendo construída por Vilaró e a cada visita via metade construção e metade escombros.

A beleza do lugar vai além da arquitetura, mas também pela vista do mar à beira de um penhasco, não deixe de visitar por nada!

casapueblo--Vilarós-Punta-del-este

Vista maravilhosa para o mar – Fonte: Pixabay

]]>
Palácio Imperial e Akihabara – 15º diário de viagem http://sevira.erikasilva.com.br/palacio-imperial-e-akihabara-15o-diario-de-viagem/ http://sevira.erikasilva.com.br/palacio-imperial-e-akihabara-15o-diario-de-viagem/#comments Thu, 08 Dec 2016 19:10:16 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=989 Acho importante fazer o planejamento, mas mais importante ainda é não ser neurótica (o) com as coisas que não dão certo. No 15º diário de viagem pelo Japão, queríamos aproveitar o dia, mas sem muito planejamento, explorar sem muito compromisso, então resolvemos visitar a região do Palácio imperial e Akihabara. ]]> Viajar também é ir de encontro ao inesperado. Por mais que a gente planeje, às vezes, aparece aquela insegurança inicial que depois se transforma em prazer.

Acho importante fazer o planejamento, mas mais importante ainda é não ser neurótica (o) com as coisas que não dão certo. No 15º diário de viagem pelo Japão, queríamos aproveitar o dia, mas sem muito planejamento, explorar sem muito compromisso, então resolvemos visitar a região do Palácio imperial e Akihabara.

Já estava com uma dorzinha no coração de pensar em ir embora, mas fazer algumas comprinhas, passear com as amigas, são coisas que sempre nos animam não é?! No meu caso, não sobrou muita grana, então tive que me segurar nas compras.

Sobre o hotel, ficamos hospedadas na cidade de Narita, perto do aeroporto internacional e um pouco longe de Tóquio, no Tobu Narita Hotel, que é superconfortável, limpo e bonito, tem ônibus gratuito para o aeroporto e para a estação de Narita.

narita-tobu-hotel

Narita Tobu hotel

Escolhemos esse hotel para não correr o risco de atrasar para o voo, mas o que não vimos foi a distância e o ir e vir entre Tóquio e o Hotel.

Os trens são cheios à noite e com horários mais espaçados depois das 10 horas da manhã, o valor da passagem era de 1100 yen (Na época R$22,00, agora R$ 32,00) de Narita até Tóquio.

Como o hotel não incluía café da manhã, fomos tomar café próximo à estação de Narita. Saímos por volta das 10hs da manhã e pegamos o ônibus do hotel para a estação.

Não vimos muitas opções, então fomos tomar café no McDonalds (eu sei, também acho que não é a melhor escolha, mas sempre parece mais fácil haha).

Engraçado que eles deram um tipo de empanado (acho que era brinde), que a gente não sabia bem do que era, eu acho que era peixe, mas não tinha cheiro, nem gosto forte de peixe, uma delícia, mas estranho comer peixe no café!

Palácio Imperial

Depois de comer partimos para a estação de Tóquio e para o Palácio Imperial, que fica perto da estação na região de Marunouchi.

Levamos quase 1 hora de trem e foi muito legal ficar observando mais uma vez as pessoas e elas nos observando falar uma língua bem diferente!

Da estação, o Palácio Imperial fica na saída Marunouchi, tem placas de indicação, mas é bom estar com um mapa, aquela estação é grande demais, saindo da estação é basicamente seguir em frente.

mapa-toquio-marunouchi-palacio-imperial-2164_central_07

Mapa da região do Palácio | Japan Guide

regiao-de-marunouchi-Saindo da estação de Tóquio

Saindo da estação de Tóquio

praca-em-marunouchi

Quem trabalha por aqui deve achar ótimo a hora do almoço!

As ruas até chegar ao palácio são movimentadas, cheia de edifícios de negócios, mas é um bairro muito bonito!

Logo mais à frente já dá para ver uma grande área de parque e ao fundo o fosso e muralhas de pedra, chegando aos portões veio nossa decepção, o palácio não estava aberto à visitação.

Na verdade, se tivéssemos pesquisado direito, íamos saber que as visitas, precisam ser marcadas com antecedência. Claro, valeu o passeio, mesmo do lado de fora é gostoso andar nessa região.

Agora, senta que lá vem história. O Palácio Imperial é a residência do Imperador do Japão e sua família. Ele está localizado no antigo Edo Castle, uma fortaleza do Shogun Tokugawa (1603 a 1867).

Depois da queda de Shogunato, a capital do país e a corte japonesa, foram mudadas para Tóquio e convertida em residência oficial.

O palácio foi bombardeado e destruído durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi reconstruído igualzinho em 1968.

chegando-ao-palacio-imperial

Chegando próximo ao portão do palácio

006-vista-da-ponte-nijubashi

E o dia estava tão bonito!

007-vista-para-o-palacio-imperial

Só um pedaço do Palácio

praca-antes-do-palacio-imperial

Gente é limpo e arrumado assim o tempo todo!

Visitas ao Palácio Imperial

A área do palácio tem 3,41km², aproximadamente a área do Central Park e é composta também pelo Nijubashi (ponte dupla), que pode ser vista de longe pelos visitantes, o Imperial East Garden e Kitanomaru Park, que são sempre abertos ao público.

Depois de bater com a cara no portão do Palácio, fui pesquisar melhor como funciona a visitação e não colocar besteiras aqui.

O jardim interno só é aberto ao público no dia 02 de janeiro (Saudação de ano novo) e no dia 23 de dezembro (Aniversário do Imperador), quando é possível também ver a família imperial num local específico.

010-ao-redor-do-palacio-Antigo vs Moderno!!

Antigo vs Moderno!!

Há visitas guiadas para os jardins externos do Palácio durante o resto do ano. Os passeios diários, demoram cerca de 75 minutos e são realizados, às 10:00 e 13:30, exceto aos domingos e segundas-feiras. Acesse o formulário de visitação nesse website.

Você pode fazer reservas antecipadas no site da Agência da Casa Imperial, dificilmente você irá conseguir uma visita no mesmo dia, mas você pode tentar.

Ao voltar para a estação encontramos uma praça charmosíssima (Wadakura Fountain Park), com chafariz, escultura de concha e uma piscina, lindos! Algumas crianças estavam brincando e pessoas várias pessoas almoçando.

011-wadakura-fountain-park

Praça em Marunouchi

012-wadakura-fountain-park

Parece que a praça acabou de ser arrumada

013-wadakura-fountain-park

Wadakura Fountain Park

014-wadakura-fountain-park

Wadakura Fountain Park

016-wadakura-fountain-park

Japinha correndo e invadindo minha foto!

017-marunouchi

Marunouchi

Wadakuramon, uma rua com nome de Digimon!! haha

Wadakuramon, uma rua com nome de Digimon!! haha

Akihabara

Olha posso dizer que conheci vários lugares no Japão, é difícil dizer um só preferido, mas o bairro de Akihabara está entre os meus preferidos com certeza! Me senti em casa haha

Claro que tem lugares mais bonitos, mas tenho certeza que posso ficar lá por horas sem vontade de ir embora, querer entrar em todas as lojas (e tem muitas lojas!).

Ainda quero fazer uma camiseta I <3 Akihabara! Nós já visitamos o bairro no começo da viagem, relembre aqui.

Da Estação de Tóquio para Akihabara basta pegar a linha circular Yamanote (da JR) e 2 estações depois sentido para estação Ueno (veja o mapa).

Bom, eu já disse em outro post que Akihabara é a “Meca” dos otakus, cheia de lojas e galerias especializadas em várias coisas, então se você pretende ir lá, vá direto às lojas que interessam a você, porque senão você fica entretido em tudo e o tempo passa muito rápido!

Chegamos Akihabara!

Chegamos Akihabara!

020-ruas-de-akihabara

Uma das melhores visões da viagem!

021-akihabara-e-a-poluicao-visualq-ue-a-gente-curte

Akihabara, eu e a poluição visual que a gente curte

022-ruas-cheias

Ruas cheias!

Mais abaixo no post, eu coloquei um guia(zinho) sobre algumas das principais lojas que visitei em Akihabara.

Ficamos um tempo de cara para cima olhando e tirando fotos nas ruas de Akihabara, entramos na loja Animate pra comprar mangás, as 1ª edições de nossos preferidos, fizemos questão de ir em todos os andares, é muito mangá incrível junto!

Entramos em algumas lojas menores e então fomos para a LAOX, achamos uma parte de lembrancinhas e comprei algumas coisas que faltavam para dar de presente! Tanta coisa legal!

Na rua passamos por uma japonesa fantasiada de serviçal, existem cafeterias onde as garçonetes estão sempre assim, vestidas de serviçais muito fofas!

Tem várias em Akiba, acho que chama Meido Kissa, existem vários cartazes chamativos nas ruas, mas pra quem não sabe japonês fica difícil diferenciar.

025-nem-sabiamos-onde-ir-primeiro

Ás vezes nem sabíamos onde ir

sega

Seeegaaa (lembrando da abertura dos jogos haha)

024-lojas-e-mais-lojas

Lojas e mais lojas

Andamos por algumas lojas e procuramos por uma de bonecos, pra levar de encomenda e pra nós mesmas, achamos a Kotobukiya e uma outra que não lembro o nome, as duas ótimas!

A Kotobukiya é uma perdição, bonecos muito lindos e perfeitos, além de várias outras coisas de mangás, animes, HQ’s, filmes, ídolos e afins. Tinha até do Zico, Airton Senna e Elvis!

026-kotobukiya

Star Wars tem até forma de gelo li!!

Darth Vader and Darth Maul

Darth Vader and Darth Maul

Mulheres da DC (Quero todas!)

Mulheres da DC (Quero todas!)

Mulheres da Marvel (Quero todas tb)

Mulheres da Marvel (Quero todas tb)

Figure actions de todo tipo

Figure actions de todo tipo

Tinha até all star de One Piece haha

Tinha até all star de One Piece haha

Minhas dicas estão abaixo, pelo menos algumas lojas que eu lembro o nome:

Yodobashi, para comprar e ver câmeras, games, computadores, acessórios, TV’s e diversas coisas de shoppings, comprei uma mala muito boa e barata lá. Tem bonecos (figure actions), brinquedos, uma variedade enorme.

 Animate é a maior loja de mangás e anime (me corrijam se houver outra), são vários andares dividido por temas. Tem mangás, pôsteres, DVD’s, papelaria, bonecos e tudo que vc pode imaginar sobre os animes e mangás.
*Lembrando que os mangás são todos em japonês, não lembro de ver em inglês, tirando livros estrangeiros, agora os DVD’s talvez tenham com legendas em inglês, mas não me arrisquei a comprar.

 Softmap é uma loja de computadores e videogames usados, não entrei, mas ouvi dizer que é “O” lugar dos games e pc’s e é uma das lojas mais procuradas no Japão.

 LAOX é uma ótima loja! Bem parecida com a Yodobashi, um pouco menor, tem Duty Free e no último andar várias lembrancinhas para comprar, até umas Yukatas lindinhas.

 Toranoana outra loja gigante de mangás, é ao lado da Animate.

 Kotobukiya (Cuidado!) É a loja em que muitos devem pirar! Tem bonecos de Dragon Ball a One Piece, passando por todos os animes e mangás de tudo quanto é jeito. Tem de Airton Senna a Batman e Star Wars! Fora todos aqueles supérfluos indispensáveis para qualquer fã!

Sega Game Centers é para quem gosta de fliperamas, tem muitas máquinas de todo tipo, dos mais modernos a clássicos!

sakura japan

Dia lindo!

Já estava anoitecendo e nós continuamos andando e felizes, apesar do cansaço e do peso. Não queria ir embora, isso significava nosso último passeio por Tóquio.

De novo sentia uma dor no peito. Queria ficar e conhecer mais, ver o que não tinha dado tempo, experimentar o que não tinha experimentado, comprar o que não tinha comprado, agarrar um Japa lindo pela rua, ver mais uma sakura florida, enfim…

Voltamos para o hotel, não sem passar mais um aperto no trem e chegamos ao hotel depois das 23hs. Estava cansada e ainda com o aperto no peito, mas muito feliz pelo dia maravilhoso que tivemos!

Despedida

O dia amanheceu bonito, com céu azul e poucas nuvens. Foi difícil levantar da cama, pois tinha ficado acordada até de madrugada arrumando as malas, todas as compras e assistindo um pouco do que passava na TV (Mesmo sem entender nada era legal!).

Nosso vôo era somente às 17h50, mas não nos arriscamos a andar por Tóquio antes de ir ao aeroporto, arrumamos tudo com calma, tomamos café no quarto mesmo, demos umas voltas pelo hotel e por volta das 11h30 pegamos o ônibus do hotel para o aeroporto de Narita.

Eu super recomendo se hospedar em hotel que tem translado para aeroporto, muito conveniente principalmente se você voltar com pelo menos 1 mala a mais, além da mala JUMBO que vc já tinha.

O aeroporto de Narita é bem organizado e grande, demos umas voltas e achamos lojas maravilhosas e que não eram muito caras. Ainda faltavam lembrancinhas e sobraram alguns yenes.

Comprei coisas que não sabia bem onde ia guardar, alguns doces e uma bolsa preta escrito TOKYO, que não consigo mais largar.

Almoçamos em um restaurante muito bom! Acho que cheguei a comentar que no Japão eles fazem a réplica do prato, tipo uma réplica perfeita do prato a ser servido na porta do restaurante. Desse eu tirei foto e o prato veio muito parecido com o que é mostrado!

Um suspiro de tristeza por ter que ir embora e fomos despachar as malas, passar pelo portão de embarque.

Várias lojas Duty Free e ainda comprei o bendito saquê pra levar!

Ficamos esperando um bom tempo para embarcar ainda… olhava para a Nah e a Sill pensando se não podíamos voltar e ficar mais uns dias, aposto que elas pensavam o mesmo. Toda hora a gente lembrava de alguma coisa que tinha acontecido e sempre sorríamos.

Embarcamos em nosso longo vôo até Toronto. Quase 14 horas. Se tem uma coisa que me desanima para voltar ao Japão, essa única coisa é o tempo de viagem.

Apesar do susto que levamos ao chegar em Tokyo com a turbulência, não estava tão apreensiva com o vôo, mas de novo o clima estava ruim na rota saindo do Japão, então dessa vez não deu pra ver toda a neve do Alasca.

De Toronto para São Paulo correu tudo certo, pouco menos de 9 horas, sem problemas. E no final o pouso mais tranquilo de todos foi justamente o de São Paulo.

Enfim em casa, mas já com saudades do Japão!

“Viajar nos transforma. Ás vezes de maneira superficial, ás vezes de maneira profunda. É como uma sala de aula sem paredes”.

memorias-em-papel

Memórias em papel

]]>
http://sevira.erikasilva.com.br/palacio-imperial-e-akihabara-15o-diario-de-viagem/feed/ 2
10 destinos diferentes que cabem no seu bolso para viajar em 2017 http://sevira.erikasilva.com.br/10-destinos-diferentes-que-cabem-no-seu-bolso-para-viajar-em-2017/ Wed, 02 Nov 2016 19:14:40 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=991 Reveja o orçamento, comece o planejamento e comece a sonhar com a próxima viagem!]]> O site Lonely Planet divulga todos os anos uma lista dos melhores destinos para visitar. A pesquisa é dividida em: top 10 países, top 10 cidades, as 10 melhores regiões para visitar e 10 destinos diferentes que cabem no seu bolso, esse último nós listamos aqui com algumas dicas.

Reveja o orçamento, comece o planejamento e comece a sonhar com a próxima viagem!

Belize

Belize na América Central, com praias ao estilo Caribe, soa um destino bem caro certo?! No entanto, é um país pequeno onde você pode ir a praias lindas, mergulhar com tanque ou snorkel, passear por ruínas Maya como Caracol, que fica no fundo de uma selva cheia de vida e você não vai enfrentar longas viagens.

A proximidade com o México e o Caribe garantiu uma cena de comida de rua animada e com excelente custo-benefício, o que facilita a economia na hora de se alimentar. Claro, tem os resorts caros, mas na região sul para Placencia e Hopkins, é possível encontrar uma relaxada cultura de praia.

belize-city

Foto: Pixabay

Debrecen, Hungria

Budapeste, capital da Hungria, já é um destino barato na Europa e junto com ela está Debrecen, a segunda maior cidade do país e o centro da Hungria de baixo custo. A cidade é rica em história, mas influências mais modernas promoveram uma crescente cena de arte moderna e ruas que ganham vida com os festivais de verão.

O que realmente destaca Debrecen é sua localização no limite das puszta (planícies orientais) da Hungria. Ponto dos caubóis húngaros e endereço do Parque Nacional Hortobágy, a região ainda domina as visões românticas da Hungria tradicional. Esta é uma parte da Europa onde você consegue encontrar um bom negócio e se sentir um pioneiro internacional.

debrecen_hungary

Foto: Flickr

Marrocos

O estável, acessível e ainda exótico Marrocos oferece um intenso e barato clima do oriente. Não tem outro lugar tão perto (e de fácil acesso) da Europa Ocidental e que ainda destoe de maneira tão excitante daquele continente, segundo o Lonely Planet.

Destaques para Marrakech, Essaouira e a cidade portuária de Tangier, que tem melhores opções de hospedagens, grande diversidade arquitetônica e uma beleza natural abundante, apesar das multidões nas cidades.

vista marrocos

Foto: Pixabay

Nepal

Apesar de estar se recuperando de terremotos, o Nepal continua sendo uma ótima opção para viajantes que se preocupam com o orçamento. No país é possível ter acesso ao melhor de suas mundialmente famosas rotas de trilhas e paisagens lindas por bem menos de $50 por dia.

Segundo o Lonely planet, o número de visitantes voltou a crescer lentamente, e esse é um bom momento para voltar às poderosas montanhas do Nepal; aonde você for, terá uma acolhida calorosa, porque sua visita leva rendimentos muito necessários para as comunidades que tentam se levantar.

nepal-templo

Foto: Pixabay

Namíbia

A África ainda é uma região com muitos problemas e muitas pessoas ainda tem um certo preconceito em visitar o continente, a Namíbia, país mais ao sul do continente, vem se destacando como novo destino procurado. Lá é possível ver a vida selvagem do deserto no Parque Nacional Etosha, a incrível trilha pela natureza no Fish River Canyon e surf na areia nas imponentes Dunas Sossusvlei. O deserto de Namib tem algumas das dunas de areia mais altas do mundo.

O grande céu azul, que contrasta com as noites claras e estreladas que permanecem por muito tempo na lembrança de muitos visitantes da Namíbia, não vai custar nem um centavo. Como o dólar da Namíbia, atrelado ao rand sul-africano, vem desvalorizando em relação a muitas moedas há muitos anos, tornou-se um momento oportuno para se conhecer esse incrível país.

namibia-desert

Foto: Pixabay

Porto, Portugal

Esta é uma cidade europeia que ainda consegue passar meio despercebida. Tem um cenário incrível na região do Rio Douro, a comida e as acomodações, são excelentes e acessíveis com ótimo custo-benefício.

A segunda cidade de Portugal tem vários museus que não são caros, bondes antigos e baratos que encantam o nerd de história que há em você ou no seu grupo e uma praia de cascalho a uma hora de caminhada pela margem do rio. Caves de vinho oferecem visitas baratas e degustações, e é fácil organizar visitas de um dia a vinhedos.

porto_portugal

Foto: Wikimedia commons

Península Bellarine, Austrália

A Península Bellarine tem sido a opção dos habitantes de Melbourn em busca de um refúgio pacato da cidade há gerações, mas parece que agora essa parte de Victoria tem algumas atrações que parecem interessantes para acompanhar suas praias e cidades históricas, como Queenscliff e Portarlington.

Outros destaques são Jack Rabbit Winery e Flying Brick Cider Co, novos destinos que chamam atenção, junto com um caminho de trilhos para ciclismo, piscinas nas pedras, mergulho com snorkel e surf. Reza a lenda que nem todos os animais por lá querem acabar com você (brincadeira haha).

Está localizada a sudoeste de Melbourne, a uma viagem de balsa da mais conhecida Península Mornington e é um lugar conveniente para servir de base por umas duas noites, antes de continuar pela Great Ocean Road.

bellarine_peninsula_australia

Point Lonsdale Lighthouse, a landmark in the southeast of the Bellarine Peninsula © sbostock / Getty Image

Península superior do Michigan, EUA

Você deve estar se perguntando: onde fica esse lugar? Para ajudar dá uma olhada no mapa aqui.

De qualquer maneira, segundo o Lonely planet, prepare-se para uma região localmente festejada com atrações que concorrem com tesouros nacionais. A Península Superior de Michigan é uma área de impressionante beleza natural e charmosas cidades e vilarejos com cara de Norman Rockwell.

É um destino para quem estiver no meio-oeste, dos EUA, os preços são razoáveis, pois estará fora das grandes cidades, o movimento é relativamente pequeno e o clima da área é casual e relaxado. A região é cheia de faróis históricos, tem centenas de quilômetros de praias e margens de lagos, algumas das florestas mais antigas do país e mais de 300 cachoeiras, que variam de lindas a espetaculares. Uma região de não tão fácil acesso, são 6hs de carro partindo de Chicago ou 4h45 saindo de Milwaukee.

michigan_up_usa

Over 40 lighthouses line the lakeshore of Michigan’s Upper Peninsula © ehrlif / Getty Images

Rússia

Ok, as passagens de avião, partindo do Brasil, não são das mais baratas, mas com o rublo beirando valores de câmbio tentadores em relação a outras moedas importantes, nestes meses de 2016, não é surpreendente que o número de visitantes na Rússia esteja aumentando. Com a Copa do mundo chegando por lá em 2018, agora é o melhor momento para aproveitar o câmbio.

O truque para economizar é pesquisar muito hospedagem e o país está muito mais acessível, momento bom para experimentar um trecho da ferrovia Transiberiana e rotas aéreas internas no país. E sempre é uma boa pedida conhecer a ótima cidade de São Petersburgo.

russia

Foto: Pixabay

Veneza, Itália

Indicar Veneza como destino que cabe no bolso dos mais econômicos parece bem duvidoso, mas acontece que, com os moradores alugando quartos e apartamentos no Airbnb e sites do tipo, você pode ficar na própria Veneza e economizar dinheiro.

Muitos turistas, se hospedam em Treviso ou Mestre e pegam o trem para ir até Veneza, agora, acomodado em uma área da cidade longe da multidão de turistas e com uma cozinha à sua disposição, você pode preparar algumas refeições, evitar o custo do transporte para chegar e sair da cidade, e poder se apaixonar sem acabar com o orçamento.

veneza-italy

Foto: Pixabay

Gostou do post? Então compartilhe com seus amigos!

Fonte: https://www.lonelyplanet.com e http://www.lonelyplanetbrasil.com.br

]]>
De volta à Tóquio – 14º Diário de viagem pelo Japão http://sevira.erikasilva.com.br/de-volta-a-toquio-14o-diario-de-viagem-pelo-japao/ Sun, 16 Oct 2016 15:00:57 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=930 Depois de uma semana visitando outras cidades do Japão, é hora de partir de volta à Tóquio. No 14º diário de viagem temos várias horas de viagem pela frente de shinkansen (trem bala), um evento de anime, momento “perdidas na estação” de novo e novo hotel em Narita.

Arrumamos nossas coisas, demos um tapa no apê (não incluía serviço de quarto) e pouco antes das 10 horas da manhã fizemos o check-out.

Não tinha serviço de táxi no hotel, mas conseguimos um rapidinho na rua, pagamos um pouco mais de 1200 yen no taxi até Shin-Osaka station.

De Osaka para a estação de Tóquio de shinkansen dura em torno de 3 horas, parando em algumas estações.

Vamos ficar hospedadas, não em Tóquio, mas na cidade de Narita, perto do aeroporto, não longe da capital.

Finalmente lembrei de tirar foto de dentro do shinkansen e dele chegando na plataforma!

02-shinkansen-chegando-na-plataforma

Shinkansen chegando na plataforma

03-dentro-do-shinkansen-para-toquio

Confortável não?!

De volta à Tóquio

Bom, como no início da viagem ficamos hospedadas em Shinjuku, não passamos nem conhecemos a estação de Tóquio, que aliás é tão grande e cheia quanto a de Shinjuku.

02_map_tokyo_station

Região da estação de Tóquio | Fonte: Japanguide.com

Nosso plano era ir para o hotel em Narita, deixar nossas malas lá e ir para o bairro Roppongi, onde estava acontecendo o evento de aniversário do anime e manga One Piece, compramos os ingressos em Shinjuku no começo da viagem.

No entanto, percebemos que não daria tempo de ir para o hotel. Depois de pensar um pouco (e nos perdemos também) encontramos armários para guardar as malas na estação.

Eles são ótimos e tem vários tamanhos, decidimos guardá-las e voltar para pegar depois do evento.

Custou um pouco mais porque eram malas grandes (e mais umas bolsas), porém foi bem mais prático.

Roppongi

Partimos para o bairro de Roppongi, saindo da estação de Tóquio, passando pela estação Yurakucho/Hibiya e depois estação Roppongi, cerca de 10 minutos por 290 yen.

Roppongi é como uma cidade dentro da cidade, é super moderno, com edifícios de escritórios, lojas, restaurantes, TV Asahi, museu de arte, vida noturna agitada e os complexos Roppongi Hills e Tokyo Midtown.

O complexo Roppongi Hills, onde estava acontecendo o evento de One Piece, tem museu, shopping, escritórios, restaurantes, lojas, centro de convenções e outras coisas mais.

O prédio mais alto do complexo, o Mori Tower, tem 53 andares (!) e é para lá que nós vamos!

Vista para Roppongi

Vista para Roppongi

05_map_roppongi

Mapa da região de Roppongi | Fonte: Japanguide.com

Uma coisa engraçada é que não dava para ter certeza onde e como era o evento. Nós estávamos meio “às cegas”, pois não achamos todas as informações em inglês.

Quando entramos foi tudo muito organizado e ao entrar no elevador, ele começa a subir e subir. Os números não paravam de subir!

Já estávamos no 43º andar e subindo, esse evento parecia ser no céu! Era no último andar! Imaginem a vista!

P.S.: Vou contar um pouco como foi o evento, se você não gosta de mangás e animes, tudo bem, pode pular para a parte “Em busca do hotel em Narita”.

Evento de One Piece

Estávamos bem ansiosas para saber como era um evento de anime/manga no Japão, grandes expectativas. E não nos decepcionamos!

O evento foi o MÁXIMO!

(Infelizmente não podia fotografar, mas encontrei fotos do evento depois da viagem).

06-entrada-mori-art-museum

Entrada do Mori arte, o céu é o limite haha

Lógico que para quem gosta “dessas coisas de otaku”, o Japão é “O” lugar, em todos os lugares tem alguma coisa de animes e mangas e claro nós queríamos ir a algum evento relacionado… e fomos no melhor evento naquele período.

Confesso não era fã de One Piece, conhecia, mas não acompanhava, queria mesmo era ver como era um evento no Japão e compará-los com os do Brasil haha

Os ingressos comprados tinham horários e as pessoas iam entrando em grupos, as salas decoradas com temática do anime, assistimos um vídeo. E gente um vídeo ESPETACULAR!

É uma animação meio que em 3D só que não precisamos de óculos, uma interação que não dá para explicar!

Várias coisas sobre o anime, introdução para a próxima temporada especial, com uma animação linda, muito bem-feita e no final eu até me emocionei mesmo sem ter entendido as falas.

Aliás vários marmanjos também se emocionaram no nosso grupo!

A exposição continua por salas e corredores com imagens, cartazes, esculturas e tudo mais sobre o anime, tudo muito bem feito!

Na última parte, um salão com vários quadros com ilustrações lindas do anime, com temáticas e técnicas de ilustração diferentes, uma escultura enorme do grupo do Ruffy.

No meio do salão havia uma réplica da mesa do desenhista Eiichiro Oda (mangaká), que faz o One Piece e ao fundo um telão mostrando uma ilustração desde o rascunho até a finalização do mangá que estava lá exposto.

*As fotos abaixo foram retiradas do site Comic Natalie.

09-news_xlarge_img_6380

Paredes do evento na entrada

Ilustrações na sala da animação

Ilustrações na sala da animação

Essa parte tinha interação e algumas bolhas podiam ser estouradas

Essa parte tinha interação e algumas bolhas podiam ser estouradas

Vários cantos destinados á diferentes personagens

Vários cantos destinados á diferentes personagens

Escultora da turma de one Piece

Melhor escultura!!

Representação da mesa do mangaká!

Representação da mesa do mangaká!

Bom, nós ficamos encantadas com o evento, não queríamos ir embora!

E na saída ainda tinha um monte de coisas para comprar do anime, quebra-cabeças, cartazes, brinquedos, figure action exclusivos e muita mais.

Saímos de lá muito felizes e tagarelando sobre o evento, a Nádia ainda conseguiu filmar um comercial que estava passando nas TV pelo prédio, queríamos muito guardar aquele vídeo de recordação.

15-cartaz-do-evento-de-one-piece

Cartaz do evento de One Piece

16-erika-com-o-cartaz-de-one-piece

Eu e o cartaz de One Piece

14-resumo-one-piece

Ah e comparando com os eventos do Brasil… os daqui não chegam nem aos pés, claro que no Japão existe muito mais investimento, mas lá é realmente um evento organizado.

Agora já anoitecendo, precisávamos ir para o hotel em Narita.

Em busca do hotel em Narita

Voltamos para a Tokyo station, pegamos nossas malas e fomos atrás de onde pegar o trem para o aeroporto e de lá um ônibus para o hotel…

… quem disse que a gente achava onde era e qual o trem para o aeroporto!

Não sei o que houve, tínhamos as informações, mas não achamos os trens no painel, nem próximos horários.

Estava muito cheio, pedimos informações, mas não entendemos direito, estava difícil!

Chegou uma hora que não aparecia mais o nome de Narita airport, nem se ia ter trem ainda, ficamos meio que desesperadas.

Então tentamos ir para a estação de JR Narita, mas não tinha trem direto.

Estava difícil saber qual estação descer, eis que surge (do nada) um japonês salvador que falava inglês muito bem e nos indicou a estação!

Tínhamos que descer em Funabashi e depois pegar um trem para a JR Narita. E enfim foi o que fizemos.

Pegamos um trem muito cheio, com malas enormes, ficamos apreensivas com o horário, estava com fome, mas coisas engraçadas e ataques de risos aconteceram haha.

Um japonês, literalmente dormindo em pé, cochilou e bateu a testa no vidro da porta! Acordou já pedindo desculpas, coitado hahaha

Eu estava sentada e escutei o baque meio de longe! Um outro japonês careca, até escondeu a cara atrás do livro pra rir também haha.

Nádia e Silvia estavam em pé e se seguraram para não rir na cara dele, mas logo quando descemos em Funabashi tivemos uma crise de risos hahaha

Aquelas situações que só as viagens nos proporcionam!

Chegamos na estação JR Narita, pegamos um taxi e finalmente chegamos no *Tobu Narita Hotel ás 23h50! QUE DIA!

Graças a Deus no final deu tudo certo! E descansamos em uma cama deliciosamente confortável. Como a Silvia disse, “Por que não ficamos em um hotel assim antes?!”

Recomendo à todos!

Continue lendo nossos diários de viagem no Japão, já estamos na reta final!

]]>
Já ouviu falar do Google Trips? http://sevira.erikasilva.com.br/ja-ouviu-falar-do-google-trips/ Sun, 25 Sep 2016 14:00:29 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=880 O aplicativo é gratuito e está disponível para IOS e Android, vai organizar as passagens de avião e reservas de hotel, oferece guias de mais de 200 cidades, com coisas para fazer, lugares para comer e beber, com recomendações personalizadas. ]]> Para a alegria dos viajantes e amantes de tecnologia, o Google lançou esta semana o Google Trips, um novo aplicativo planejador e guia de viagem, que promete juntar todas as informações sobre a sua viagem no seu bolso.

O aplicativo gratuito (disponível para IOS e Android) vai organizar as passagens de avião e reservas de hotéis, oferecendo guias de mais de 200 cidades, com coisas para fazer, lugares para comer e beber, além de recomendações personalizadas.

E o melhor de tudo? O app funciona off-line. É possível baixar tudo para o seu aparelho antes de viajar, incluindo mapas, sem precisar ficar desesperado buscando um wi-fi pelo caminho. Estamos loucos para usar numa viagem, sim ou com certeza?

google-trips-tela-12

O layout é bem intuitivo, mesmo em inglês dá para se virar

Guia de viagem em tempo real

E se você estiver com uma conexão de internet ativa, o Trips promete puxar as informações em tempo real sobre os destinos, informando até se os locais estarão abertos ou fechados para visitação.

Ele também promete fazer ajustes com base no tempo e nas horas do dia. Se começar a chover, por exemplo, o app irá recomendar atividades internas.

Está pensando o quê? Aqui é Google!!

E se você quiser, há também uma recomendação do estilo “Estou com sorte” para o seu dia. É só tocar no botão vermelho grande, “varinha mágica”, e o Trips irá oferecer um destaque aleatório da cidade.

O Trips é um app grátis e requer que você faça login com a sua conta Google, podendo alternar entre conta pessoal e trabalho, se você quiser ou precisar de mais de uma. Está disponível para o Brasil, mas por enquanto somente em inglês.

Segundo o Google e seus desenvolvedores, o principal do app é montar itinerários personalizados, utilizando como base o tempo em que você ficará no local, assim como destinos populares e o que você já armazenou antes nesse serviço.

google-trips-tela-34

É possível ver avaliações e comentários sobre osa locais e diversas formas de transporte

Pode escolher um itinerário como, “72 horas em Paris” ou pode se concentrar em compras, museus, restaurantes ou outras atividades, além de incluir outros destinos que você queira ver.

O “pulo do gato” do app é planejar de forma fácil, salvar informações que geralmente ficam “espalhadas”, seja impressa, no email ou no dropbox, estando com elas sempre à mão do viajante.

Assista o vídeo de divulgação:

O Google Trips veio para facilitar e muito a vida do viajante, não?! As chances de você esquecer do check-in ou do voucher do hotel caíram pela metade, fala a verdade!

Nós estamos testando esse novo app. E vocês? Pretendem usar no planejamento da próxima viagem? Conta pra gente nos comentários!

]]>
Hiroshima e Miyajima – 13º diário de viagem pelo Japão http://sevira.erikasilva.com.br/hiroshima-e-miyajima-12o-diario-de-viagem-pelo-japao/ Fri, 16 Sep 2016 16:12:52 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=791 Depois de um passeio bem cedo pelo Castelo de Osaka, nosso destino agora é Hiroshima e Miyajima, o roteiro do dia é longo e tem muito lugar para conhecer. É possível conhecer os dois destinos em 1 dia, chegando bem cedo na região. Vem comigo!

Como chegar em Hiroshima?

Partindo de Osaka ou Kyoto, de trem bala para a estação de Hiroshima, são cerca de 1h30 a 2hs de viagem, pode variar dependendo do trem e da quantidade de paradas pelo caminho.

De Tóquio são 4hs de viagem com o trem bala mais rápido (Nozomi) ou 5hs com outros trens (Hikari ou Sakura), a viagem fica bem mais corrida e cansativa, mas os trens são bem confortáveis.

É possível consultar os horários, rotas e preços dos transportes no site Jorudan.

Lembrando que eu utilizei o Japan Rail Pass, comprado no Brasil, o passe para estrangeiros do trem bala e linhas de metrô da JR. Sem o passe essa ida a Hiroshima custaria 11,410 yen (uns R$350), como já disse antes aqui, vale a pena comprar o JR Pass se você pretende visitar várias cidades no Japão, só não é possível usar o passe no trem Nozomi.

Hiroshima

Por motivos lamentáveis Hiroshima dispensa apresentações, acho que todo mundo a partir de certa idade já ouviu falar da cidade.

Milhões de pessoas visitam Hiroshima, a cidade que foi atingida pela bomba atômica em 1945, em que tantas pessoas foram eliminadas em instantes.

Como atração turística pode até ser um clichê, no entanto pode causar muitos sentimentos inesperados, não só de tristeza ou indiferença, mas a reconstrução da cidade deixa um lado positivo na visita, fazendo valer muito a pena visitar esta cidade.

Há alguns dias atrás estava difícil decidir nosso roteiro para essa região do Japão, são tantas coisas legais, lugares incríveis, fotos lindas e foi unânime para nós três que tínhamos que ir visitar Hiroshima e Nagasaki. Infelizmente, não deu tempo de ir à Nagasaki, é bem longe, mas Hiroshima e Miyajima já valem a pena.

002-hiroshima-station

Welcome!

Chegamos na estação principal de Hiroshima e nosso primeiro destino na cidade seria o Parque Memorial da Paz (Peace Memorial Park), há uma linha de ônibus para o parque, mas tinham várias saídas na estação e ficamos meio perdidas.

Quando estávamos olhando o mapa, eis que surge, do NADA, um guarda japonês oferecendo ajuda, tomamos um baita susto! Hahaha

Ele não falava inglês, mas fez sinal indicando o caminho pra gente, bem simpático e prestativo, como tínhamos o nome anotado, ficou mais fácil.

Pegamos um ônibus eléctrico (ou bonde não sei) para a estação mae Genbaku-Domu, você pode pegar a linha 2 ou 6, leva uns 10 min. e custa 150 yen até o parque, tem muitos ônibus elétricos em Hiroshima e as paradas são identificadas.

Parque Memorial da Paz

Sem dúvida o Parque Memorial da Paz é o ponto mais visitado de Hiroshima, ele é enorme e mesmo quem não está lá para visitá-lo deve se deparar com ele em algum momento.

Quando descemos do ponto, não é possível ver muito dele, havia uma escultura e uma placa onde está escrito sobre o parque e a guerra, chegamos pelo lado da cúpula da bomba.

De um lado nós vemos um rio tranquilo, com pessoas passeando, na margem um jardim bonito, quando se olha para trás se vê um prédio destruído, é a cúpula da Bomba-A.

Ali a alguns metros acima é o exato lugar onde a bomba explodiu, a Unesco transformou em patrimônio da humanidade.

003-a-cupula-da-bomba

Cúpula da bom (A-bomb dome)

004-placa-sobre-a-cupula-da-bomba

Não tem como andar por essa cidade e não imaginar a calamidade que aconteceu ali

005-cupula-da-bomba-e-o-parque

Dá quase para dar a volta no edifício

 

 

006-a-bomb-dome

Outro lado da cúpula

010-imagens-da-explosao-da-bomba

As placas contam detalhes do que aconteceu antes e após a explosam

007-caminho-do-parque-memorail-da-paz

Apesar de tudo o parque é uma beleza

Andando mais à frente vimos um monumento em homenagem aos estudantes e depois atravessando a ponte é que começa a maior parte do parque.

 

011-monumento-aos-estudantes

012-monumento-aos-estudantes

O Monumento da Paz das crianças, retratando uma menina com as mãos estendidas, foi criado em homenagem às crianças vítimas da bomba, muitas que sobreviveram tiveram câncer depois de algum tempo.

014-monumento-da-paz-das-criancas

Como era segunda, o parque estava bem tranquilo

015-monumento-da-paz-das-criancas

Diversas ilustrações são deixadas em volta do monumento

Mais para trás há o sino da paz e o Monte da memória onde estão as cinzas de milhares de pessoas que foram cremadas no lugar.

O parque ainda continua com o Monumento Chama da Paz, que só se apagará no dia em que não houverem mais armas nucleares no mundo.

O Cenotáfio das vítimas da bomba (Mausoléu) projetado para homenagear as vítimas e nele está escrito a frase “Descansem em Paz. Nós nunca repetiremos o erro”.

O centro do parque é o Museu Memorial da Paz onde há tudo referente à história da bomba e os efeitos na cidade.

013-parque-memorial-da-paz-Hiroshima

Mais um pouquinho da vista do parque

016-outro-lado-do-parque

Outra parte do parque e ao fundo o prédio do museu

017-chama-da-paz

Chama da paz

020-cenotafio-chama-da-paz

Cenotáfio das vítimas da bomba

019-placa-do-cenotafio

“Descansem em Paz. Nós nunca repetiremos o erro”

018-museu-memorail-da-paz

Entrada para o Museu memorial da paz

Downtown Hiroshima e outras atrações

Hiroshima tem um centro da cidade movimentado e a rua Hondori é a mais famosa, ela é fechada para carros e cheia de lojas e restaurantes, ela começa perto do parque da paz.

Outras atrações da cidade são o Castelo de Hiroshima, o Museu da Mazda motor próximo da estação Mukainada e o Shukkeien Garden, um jardim que tem vales, montanhas e florestas, representados em miniatura em paisagens do jardim e fica a 15 minutos a pé da estação de Hiroshima.

Castelo de Hiroshima

O Castelo de Hiroshima, que fica a uns 15 minutos de caminhada do parque da paz ou a 10 minutos da parada de ônibus Kamiyacho-Nishi ou Kamiyacho-Higashi.

No caminho vimos um pouco da cidade, talvez por ser uma segunda-feira não haviam muitas pessoas andando pela rua.

Haviam algumas placas na rua e o castelo pode ser visto de longe, é possível achar sem problemas.

Assim como os outros castelos que visitamos, este também tem um parque em volta, não com tantas cerejeiras em volta, mas não deixa de ser bonito!

021-castelo-de-hiroshima-de-longe

Olha só como dá pra ver o castelo de longe

022-entrada-castelo-de-hiroshima

Entrada para a área do castelo.

023-erika-em-frente-ao-castelo-de-hiroshima

Achei essa ponte um charme!

O castelo de Hiroshima tem as cores mais nos tons de madeira e cinza e não deixa de ser muito charmoso! A entrada custa 350 yen.

Ele também é conhecido como “Carp Castle” ou “Castelo Carpa”, aliás, é um símbolo muito adorado no Japão e principalmente em Hiroshima vimos bastante. As carpas representam a resistência, a coragem e a perseverança.

O castelo foi construído em 1589 pelo poderoso senhor feudal Mori Terumoto, foi um importante centro de poder no Japão Ocidental.

Ao redor do castelo, também há um santuário, algumas ruínas e alguns edifícios reconstruídos da Ninomaru (segundo círculo de defesa).

O castelo foi poupado da destruição que muitos outros castelos tiveram ao longo dos anos no Japão, mas infelizmente, como o resto da cidade, foi destruído pela bomba atômica em 1945.

Reconstruído após a guerra, ganhou um museu pequeno, sobre a história de Hiroshima, desse castelo e de outros.

024-parque-do-castelo-de-hiroshima

Chegando próximo a área do Santuário

025-tori-do-castelo-de-hiroshima

Entrada do santuário simbolizada pelo tori

026-templo-no-castelo-de-hiroshima

Tão rico em detalhes, tão lindo de se ver

027-castelo-e-parque-Castelo em meio às árvores, escondendo o ouro!

Castelo em meio às árvores, escondendo o ouro!

028-castelo-de-hiroshima

Fachada do castelo mais de perto!

Assim que entramos no castelo haviam algumas coisas à venda, sempre tem lojinha, todo o pessoal muito simpático.

Havia também um lugar para tirar fotos com Yukata/Kimono florido e uma armadura de samurai!

Pense em três turistas SUPER FELIZES fazendo caras e bocas, tirando várias fotos e rindo à toa com as fantasias! Éramos nós!

030-nadia-de-yukata

Postura de japonesa!

030-sill-a-simpatica-samurai

A simpática samurai

031-erika-vestindo-yukata

Fala se eu não pareço uma nissei!!

Depois da sessão de fotos, visitamos o museu no castelo e todos os 5 andares. Subimos ao último andar para ver a vista da cidade.

032-ilustracoes-expostas-no-museu-do-castelo

Ilustracoes expostas no museu do castelo

033-peca-de-capacete-de-samurai

Peça de capacete de samurai

029-vista-para-hiroshima

Um pouquinho da vista da cidade

029-2-vista-para-hiroshima

Vista maior para a cidade

E quando estávamos saindo um “quase” pôr do sol deixava o céu lindo!

Após o castelo de Hiroshima, queríamos ir à Nagasaki, mas não ia dar tempo e ainda tinha Miyajima para conhecer, adorei as fotos do lugar e queria conhecer o famoso tori flutuante.

Decidimos ir para Miyajima. O problema foi o caminho que escolhemos.

033-2-por-do-sol-em-hiroshima

Começo de pôr do sol

 

Miyajima

Para chegar a Ilha de Miyajima saindo da estação de Hiroshima, pegue o trem JR Sanyo line para a estação Miyajimaguchi, leva-se em torno de 25 minutos e custa 410 yen.

Outra opção é pegar o ônibus elétrico da linha 2 com destino a Miyajimaguchi, custa 260 yen, ele é bem mais lento que o trem… e nós só descobrimos isso no caminho.

Depois de sair do castelo, olhando no mapa, precisávamos voltar para a estação de Hiroshima para ir de trem até o cais, pegar o ônibus elétrico parecia ser mais perto, então escolhemos essa última opção… nosso erro.

Por esse caminho levamos quase 1 hora para chegar ao cais. Já estava até com medo de ter pego o ônibus errado, pois não chegava nunca!

Então, uma boa opção é ir primeiro para Miyajima e depois visitar as atrações de Hiroshima, acredito que assim o roteiro será melhor aproveitado.

Depois na estação Miyajimaguchi, fica o cais que sai o ferryboat para a ilha de Miyajima (incluído no JR Pass).

Basta pegar o Ferryboat e em 10 minutos chegamos na ilha. O barco é grande e bem seguro, tem vários horários de saída e está incluso no JR Pass.

034-saindo-do-cais

Também achei estranho, mas são apartamentos na beira do cais

036-ilha-de-miyajima

Pena que as fotos não saíram tão boas, era pra ver o santuário lá no fundo

Miyajima é uma pequena ilha famosa pelo Santuário Itsukushima e seu Tori gigantesco, que parece flutuar na água na maré alta. É considerado uma das vistas mais belas do Japão.

Este santuário é centenário e na verdade Itsukushima também é o nome da ilha, mas o nome Miyajima tornou-se mais popular, significa “santuário ilha”, pois parece que o santuário e a ilha são um só na mente da população.

Quem passa a noite na ilha, geralmente quer experimentar algum ryokan (hotel tradicional japonês) ou ter mais contato com a natureza do lugar.

Assim como em Nara, há veados selvagens soltos pela ilha, eles são considerados mensageiros de Deus.

Chegamos no terminal ferry e já estava anoitecendo, para chegar ao santuário basta seguir da estação a rua a beira mar, de lojas e restaurantes e ver o Tori se aproximando, não tem erro.

Pelo visto as coisas fecham cedo por lá ou por ser segunda-feira não sei, haviam um grupo de pessoas e alguns adolescentes animados indo para lá também na maior bagunça.

Infelizmente, minha câmera acabou a bateria e as fotos que consegui tirar não ficaram tão boas, pois já estava anoitecendo e as luzes não ajudavam muito.

037-tori-e-santuario-vistos-do-mar

Tori flutuante visto do mar

038-chegando-em-miyajima

Saindo da estação em Miyajima

039-miyajima-maquete-boas-vindas

Maquete de boas vindas de Miyajima

050-mapa-miyajima

Mapa das principais atrações de Miyajima | Japan Guide

O Santuário Itsukushima tem uma longa história e é um lugar sagrado para o xintoísmo, é formado por vários edifícios e suportado por pilares acima do mar.

O Tori “flutuante” fica a alguns metros em direção ao mar, quando a maré está baixa é possível ir caminhando até ele.

Como chegamos já anoitecendo não foi possível ver muito do santuário, mas a iluminação à noite é linda! Apesar do frio, para mim sempre é gostoso passear de frente para o mar.

040-caminho-ate-o-santuario

Caminho para o santuário

A ilha ainda tem muita floresta virgem e animais, um teleférico para o Monte Misen e várias trilhas para caminhada.

Ao redor do santuário, há um museu de história, o Pavilhão Senjokaku com uma pagoda de 5 andares e do outro lado o Aquário de Miyajima. E ainda à 5 minutos de caminhada do santuário, há o Templo budista Daisho-in para visitar.

Infelizmente não pude visitar nem metade de tudo isso, mas já está reservado para minha próxima viagem ao Japão!

040-tori-flutuante

Tori de Itsukushima

tori Olha ele mais de pertinho

Olha ele mais de pertinho

044-rua-de-miyajima

Um pouquinho das ruas de Miyajima

045-ruas-de-miyajima

Algumas lojas são tradicionais do Japão mais antigo

050-santuario-itsukushima-na-mare-alta

Santuário Itsukushima na maré alta | Foto: Japan Guide

Depois de aproveitar um pouco e tirar algumas fotos, fomos voltando para o terminal do ferryboat, meus pés já estavam pedindo socorro, os da Nádia então nem se fala. Tínhamos um longo caminho pela frente até Osaka.

Esse foi nosso penúltimo dia viajando pelas cidades mais ao sul do Japão, depois partiremos para Tóquio novamente e isso significa também que a viagem está chegando ao fim.

Enquanto não acaba, sigam-nos os bons… e nas redes sociais que ainda tem mais aqui no Se vira no mundo! 

]]>
Castelo de Osaka – 12º diário de viagem http://sevira.erikasilva.com.br/castelo-de-osaka/ Thu, 25 Aug 2016 16:00:55 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=647 O roteiro do dia estava bem apertado, acabamos dividindo o dia em duas partes, então este primeiro diário de viagem é sobre o Castelo de Osaka e o segundo é sobre Hiroshima e Miyajima. ]]> Mesmo estando hospedadas em Osaka, não conseguimos conhecer muito da cidade, além do centro e das estações de trem e metrô, mas seria muita mancada, não visitar pelo menos o Castelo de Osaka, que ficava bem perto do nosso hotel.

O roteiro do dia estava bem apertado, acabamos dividindo o dia em duas partes, então este primeiro diário de viagem é sobre o Castelo de Osaka e o segundo é sobre Hiroshima e Miyajima.

Nosso penúltimo dia em Osaka e visitando outras cidades, já começa a dar uma dor no coração, logo estaremos partindo… a essa altura da viagem, já estávamos querendo morar no Japão para sempre.

Outra coisa linda de se ver no Japão, são os castelos medievais, pelo menos um castelo você deve visitar. A arquitetura, a história e o charme medieval são únicos, além de todo o cuidado em volta deles, eu me apaixonei pelos castelos que visitei.

Existem vários castelos espalhados por todo Japão, começaram a ser construídos no século 14, mas entorno de 12 castelos tem suas estruturas originais, muitos foram destruídos e reconstruídos com o passar dos séculos, por causa de incêndios e guerras.

Castelo de Osaka

O Castelo de Osaka (Osaka-jo ou Osaka Castle) é um dos mais famosos castelos do Japão, a estação mais próxima é a Tanimachi 4-chrome Station, da linha Tanimachi Subway e Chuo Subway Line.

Como ficava há umas 2 quadras do nosso hotel fomos a pé, cerca de 20 minutos, o dia estava meio frio, mas com um solzinho gostoso.

osaka city

Um pouquinho de Osaka pelo caminho

osaka castle park

Galera no parque logo cedo!

osaka castle park

Parque ainda florido pelas cerejeiras

caminho do castelo de osaka

Tudo parece tão certinho, certeza que cortaram a grama ontem (kkk)

Chegamos lá e tinha acabado de abrir para visitação, mas já haviam muitas pessoas caminhando para o castelo, há um parque em volta e quando passamos pelo portão podemos ver um grande jardim lá dentro também.

Muitas cerejeiras floridas ainda, pelo caminho, o Castelo de Osaka também é um ponto de visitação no Hanami (Florescer das Cerejeiras) e um dos grandes.

A entrada custa 600 yens (R$12), o castelo abre das 9h às 17hs e o parque também. Para nossa surpresa, já havia fila para entrar, muita gente visitando logo cedo.

entrada castelo de osaka

Chegamos no tão famoso Castelo de Osaka

nadia em frente ao castelo de osaka

Nádia toda feliz!

09 osaka castle

Olha isso gente!! O dourado ajuda a destacar tudo!

A construção do Castelo de Osaka começou em 1583, mas foi destruído e reconstruído por Toyotomi Hideyoshi que queria o castelo para se tornar o centro de uma nova época no Japão, foi o maior castelo durante muito tempo. No entanto, alguns anos depois, as tropas de Tokugawa (um dos grandes líderes da Era) atacaram e destruíram o castelo.

Foi reconstruído novamente por Tokugawa na década de 1620, mas a torre principal do castelo foi atingida por um raio em 1665 e queimada, só foi totalmente reconstruída em 1931.

Durante a 2ª guerra, ele sobreviveu milagrosamente aos ataques aéreos à cidade. Em 1997, foi totalmente reparado, ganhou acessibilidade e contínua firme e forte.

Abriga um museu informativo sobre a história do castelo e um observatório no topo.

Quando entramos no castelo fomos um pouco mais espertas dessa vez, fomos logo para o último andar, para ir descendo e visitando melhor os outros andares.

Claro que não podia faltar uma lojinha de presentes e lembrancinhas no último andar haha.

Da torre do castelo há uma vista linda da cidade de todos os lados, só achei muito apertado o espaço de observação e as grades atrapalham um pouco a vista e para tirar fotos.

10 vista de osaka

Vista do observatório para a cidade de Osaka

vista do castelo de osaka

Vista da cidade e bem nessa hora o sol foi embora

maquete em exposição no castelo

Maquete em exposição no castelo

13 decoração do osaka castle

Detalhe da escultura restaurada do castelo

ilustrações da epoca medieval do japão

Ilustrações da época medieval do Japão

Quando estávamos indo embora não dava para saber onde era a melhor saída, demos a volta por um pedaço do jardim e encontramos a melhor vista do Castelo de Osaka! Valeu a pena!

Segundo o folheto, todo o Osaka Castle Park tem uma porrada de coisas, cerca de dois quilômetros quadrados, instalações desportivas, uma arena multiuso, um santuário dedicado a Toyotomi Hideyoshi e outras coisinhas, sem falar nas dezenas de sakura espalhadas!

vista do jardim do osaka castle

Olha que charme esse jardim!

erika em frente ao castelo de osaka

Olha eu não tão charmosa assim (hahaha)

melhor vista do castelo de osaka

Melhor vista EVER do castelo!



Adoraria ficar de cara pra cima passeando por todo canto desse lugar! No entanto, há muito mais para conhecer e o dia estava apenas começando!
Continue acompanhando nossos diários de viagem pelo Japão e siga nossas redes sociais.

]]>
Links do mundo #02 – Viagens, cotidiano e nerdices http://sevira.erikasilva.com.br/links-do-mundo-02-viagens-cotidiano-e-nerdices/ Tue, 23 Aug 2016 23:00:34 +0000 http://www.seviranomundo.com.br/?p=612 […]]]> Temos muitas coisas para mostrar e nem tudo tem haver só com viagem, o Links do mundo é uma coletânea de posts ou videos bacanas que vimos durante a semana e queremos compartilhar.

Viagens

Não tem jeito, para muitas mulheres é bem difícil fazer uma boa mala de viagem, por isso dicas nunca são demais, aqui temos Orientações práticas para uma mala inteligente do Vem por aqui.

20 fotos que vão te fazer enxergar o mundo de outra forma e A incrível jornada do patinho de borracha que esteve desaparecido durante 5 anos do Nômades digitais.

O blog Esse mundo é nosso fez um post com 10 coisas que fazemos sempre e que podem pegar mal fora do Brasil, para te ajudar a não cometer muitas gafes viajando por aí.

O casal Leo e Rachel do Viajo logo existo, fizeram uma viagem de 4 dias pela Coréia do Norte e no canal deles no you tube mostraram diversas dúvidas e mitos sobre o país, como “Tudo é falso por aí?”. Deu pra ver que as pessoas são alienadas de alguma forma, mas que não tanto quanto se pensa, pelo menos na capital.

Cotidiano e nerdices

Apesar da expectativa ruim que os brasileiros tinham com relação a olimpíada, as coisas se provaram muito melhor do que todo mundo imaginou. Claro que depois que tudo acabar vamos ter uma “conta a pagar”, mas enquanto a conta não vier, vai aqui 20 perguntas que passam pela cabeça de todo mundo que assiste a olimpíada do Buzzfedd.

Está jogando Pokémon Go? Aqui tem um Guia para treinadores iniciantes de POKÉMON GO do blog da Babee.

Essa semana os fãs de Harry Potter tiveram mais uma linda notícia, de que J.K. Rowling vai lançar mais três coletâneas de histórias relacionadas ao universo de Harry Potter, pelo Adoro cinema.

Boa semana à todos!

]]>